Topo

3 fatores que explicam por que incêndios no Chile causaram tanta destruição

Homem usando balde para jogar água em uma casa que pega fogo

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

O Chile está sofrendo uma onda de incêndios florestais devastadores

Article information
  • Author,Fernanda Paúl
  • Role,BBC News Mundo
  •  

Foi descrita como uma das maiores tragédias que o Chile viveu nas últimas décadas.

Com mais de 110 mortos e cerca de 15 mil casas atingidas, o incêndio que ocorreu na região de Valparaíso chocou o país sul-americano.

Em duas das cidades mais atingidas, Viña del Mar e Quilpué — localizadas a cerca de 120 km da capital Santiago —, bairros inteiros viraram cinzas.

As imagens são devastadoras. Centenas de pessoas perderam suas casas e agora tentam recuperar alguns de seus pertences dos escombros.

 

As autoridades garantiram que existem provas de que alguns dos focos foram acesos intencionalmente. 

O próprio presidente, Gabriel Boric, pediu que sejam investigadas "todas as informações" sobre a origem dos incêndios.

"É difícil pensar que possa haver pessoas tão miseráveis ​​e sem coração, capazes de causar tanta morte e dor", disse ele.

"Mas se essas pessoas existem, vamos procurá-las, vamos encontrá-las e terão de enfrentar não só o repúdio de toda a sociedade, mas também todo o peso da lei", acrescentou.

Presidente do Chile dando entrevista coletiva sobre os incêndios

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

O presidente Boric determinou investigação sobre a origem dos incêndios

Embora grandes incêndios não sejam um fenômeno novo no Chile — o país já viveu anos críticos em 2014, 2017 e 2023, entre outros — este último tem uma dimensão sem precedentes devido ao número de vítimas.

Um dos fatores que mais tem chamado a atenção é a velocidade com que os incêndios se espalharam.

"Em apenas 10 minutos, o fogo estava aqui. Havia fumaça, o céu escureceu e tudo ficou escuro. O vento era como um furacão. Foi como estar no inferno", disse à imprensa local uma mulher que estava numa das áreas atingidas.

Como se explica o nível de destruição deixado pelos incêndios? E por que o fogo se espalhou tão rapidamente? A segui, três fatores que contribuíram para isso.

1. Seca prolongada

O Chile tem sofrido secas durante os últimos 15 anos, que os cientistas atribuem diretamente às mudanças climáticas.

O fenômeno atinge principalmente a área central do país — onde fica a região de Valparaíso — devido ao prolongado déficit de chuvas.

Embora no inverno passado tenha chovido mais do que nos anos anteriores, os especialistas alertam que as consequências da seca ainda estão presentes.

E o período de escassez de água foi tão longo que a vitalidade do solo foi afetada.

Como os solos ficam mais secos, a vegetação sofre o que os especialistas chamam de "estresse hídrico" e a matéria vegetal queima com mais facilidade.

Plantação no Chile

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

Especialistas afirmam que o território fica mais vulnerável a incêndios quando há plantações de reflorestamento ao invés de mata nativa

Somando-se a isso, tanto no centro como no sul do Chile existem muitas espécies invasoras, como o pinheiro ou o eucalipto, que foram introduzidas para a produção de celulose e madeira no país.

Essas áreas de reflorestamento circundam diversas áreas de Valparaíso e queimam com mais facilidade, dizem os especialistas.

"Os famosos pinheiros e eucaliptos queimam com relativa rapidez e, além disso, temos outras espécies arbustivas invasoras que geram uma quantidade muito elevada de combustível", diz Aníbal Pauchard, diretor do Instituto de Ecologia e Biodiversidade da Universidade de Conceição.

Roberto Rondanelli, acadêmico do Departamento de Geofísica da Universidade do Chile, afirma que "a área é muito mais vulnerável quando tem mais plantações do que floresta nativa".

"A floresta nativa é muito mais resistente ao fogo. Além disso, a densidade de biomassa das plantações florestais é maior que a da floresta nativa para maximizar as produções, e isso pode ser um problema", acrescenta.

Carro queimado durante incêndio no Chile

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

As autoridades estimam que cerca de 15 mil habitações foram afetadas pelos incêndios

2. Ventos fortes e altas temperaturas

As condições meteorológicas também tiveram um papel importante no nível de destruição dos incêndios.

Desde o início do fogo, na sexta-feira (2/2), a temperatura na região de Valparaíso ultrapassou os 33º C.

Essa temperatura foi descrita pelos meteorologistas como "extremamente elevada e incomum" para aquela zona costeira.

Reflexo do sol em um local com água represada

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

As altas temperaturas que o país sul-americano tem vivido neste verão também explicam porque os incêndios se espalharam tão rapidamente

"Foi uma onda de calor particularmente forte. Passamos uma semana com temperaturas recordes, registrando em torno de 37º nos vales. E são temperaturas que nunca são registradas nessa área", diz Roberto Rondanelli.

O pesquisador diz que essas altas temperaturas têm a ver com as alterações climáticas e com o fenômeno El Niño, que normalmente está associado a eventos meteorológicos extremos.

Também foram registradas rajadas de vento de até 80 km/h nas áreas atingidas, o que favoreceu a propagação do fogo. E um nível de umidade abaixo do normal.

Isso afeta especialmente áreas urbanas localizadas em grandes vales que, segundo especialistas, funcionam como "aceleradores de vento", dificultando o controle dos incêndios.

A abundância de morros e vales na região de Valparaíso contribui para que os ventos atinjam velocidades maiores.

3. Densidade populacional

Casas queimadas na região de Valparaíso

CRÉDITO,GETTY IMAGES

Legenda da foto,

As áreas afetadas pelos incêndios são densamente povoadas. Isso também explica a extensão da destruição

Outro fator que explica a extensão da destruição deste incêndio tem a ver com a infraestrutura das áreas afetadas.

Segundo especialistas, algumas das áreas queimadas são densamente povoadas, sem padrões adequados de planejamento ou muros de contenção.

Muitas das casas nessas áreas são precárias e feitas com materiais leves ou madeira, facilmente inflamáveis.

Em declarações à Rádio Cooperativa, Miguel Castillo, da Faculdade de Ciências Florestais da Universidade do Chile, destacou que a área afetada é "muito complicada".

"São regiões que tiveram um aumento muito elevado da densidade populacional. É uma das razões que explicam como o fogo avançou tão rapidamente", afirmou.

Roberto Rondanelli explica que muitas das áreas afetadas não estão "bem regulamentadas e há falhas enormes".

"São locais onde obviamente não deveria haver construções, onde não há rotas de fuga", afirma.

Tags:

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
Rua Marechal Deodoro, nº 503, sala 505 - Curitiba - PR  |  Cep : 80.020-320
Telefone: (41) 3014 6031 e (41) 3019- 5539 | atendimento: de 13 às 18 horas | trevisan07@gmail.com e sindecon.pr@sindecon-pr.com.br