Topo

Tributação de fundos exclusivos contribuiu para arrecadação em fevereiro

(rafapress / Shutterstock.com)

O coordenador de previsão e análise da Receita Federal, Marcelo Gomide, afirmou nesta quinta-feira (21) que a tributação de fundos exclusivos contribuiu para o bom desempenho na arrecadação de fevereiro. Gomide diz que, como a taxação foi parcelada, ela deve contribuir com R$ 4 bilhões mensais para as contas do governo federal.

Ele também afirmou que a retomada da tributação regular do diesel é o principal fator para o aumento da arrecadação do PIS/Cofins no mês passado. “A base estava desonerada em fevereiro de 2023, e em fevereiro de 2024 volta a estar uma base mais normal por conta do restabelecimento das alíquotas”.

Gomide disse ainda que o crescimento da massa salarial é o principal fator responsável pelo aumento das receitas previdenciárias. “A gente mantém o mercado de trabalho como forte componente para explicar resultado, mas a gente tem que destacar a arrecadação do Simples Nacional”.

Arrecadação recorde

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 186,522 bilhões em fevereiro, uma alta real de 12,27% (já descontada a inflação) na comparação com 2023, quando o recolhimento de tributos somou R$ 158,995 bilhões. Em relação a janeiro, no entanto, a arrecadação recuou 34,08%, em termos reais.

A Receita diz que foi o melhor resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1995. O resultado também veio um pouco acima da mediana das expectativas de instituições do mercado financeiro (R$ 184,365 bilhões), segundo pesquisa do Broadcast. O intervalo das estimativas ia de R$ 166,394 bilhões a R$ 188,500 bilhões.

Tags:

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
Rua Marechal Deodoro, nº 503, sala 505 - Curitiba - PR  |  Cep : 80.020-320
Telefone: (41) 3014 6031 e (41) 3019- 5539 | atendimento: de 13 às 18 horas | trevisan07@gmail.com e sindecon.pr@sindecon-pr.com.br